NUTRIENTES E SAÚDE NEUROLÓGICA

09/01/2012



Vários são os nutrientes que participam das conversões bioquímicas, envolvendo a produção de substâncias excitatórias e inibitórias do sistema nervoso central; citamos aqui o cromo, a vitamina B9, B3, B6 e B5, o magnésio, o cálcio e o ferro, caracterizando tais nutrientes cofatores essenciais para que haja metabolização adequada principalmente do triptofano(aminoácido essencial)que irá resultar em produtos finais após adequada metabolização em aumento de hormônios do bem estar (serotonina e melatonina).
Citamos como exemplo de fontes ricas em triptofano, as carnes vermelhas, as aves, os pescados, o leite, queijos, nozes, castanhas, o cacau, as leguminosas(feijão e lentilha), a banana, o abacate e a pinha; a falta deste aminoácido resulta em alterações comportamentais e de humor,principalmente associados às expressões faciais, podendo levar ao aumento de quadros depressivos, seguidos de estados de tristeza e agressividade.
Estudos indicam que elevados índices inflamatórios, resultam em elevação de níveis de glutamato (substância excitatória do sistema nervoso central), devido ao aumento da perda catabólica do triptofano; aumentando à atenção nos quadros patológicos de câncer, esquizofrenia e fibromialgia, apresentando o triptofano em tais patologias, uma rota alterada, onde há o aumento de enzimas que estimulam os receptores de glutamato.
A diminuição do triptofano na dieta, irá consequentemente diminuir a quantidade do mesmo no sistema nervoso central, contribuindo assim para a diminuição na produção de serotonina e melatonina, ocorrendo assim o desequilíbrio dos níveis excitatórios e inibitórios neurológicamente falando.
Estudos retatam que a vitamina B3 (niacina), pode inibir a atividade das enzimas produtoras de glutamato nas cascatas metabólicas, preservando assim o triptofano para as reações bioquímicas positivas, resultando em serotonina e melatonina, diminuindo índices de inflamações crônicas, repercussões neurológicas, câncer, quadros de HIV e artrite reumatóide.

Por Regina Longano,

Fonte:A busca pelo equilíbrio bioquímico,
Henry Okigami e Camila Paraíso Monção, São Paulo, Editora Fapes, 2011.