PIMENTA CONTRA DEPRESSÃO

25/11/2013

Apimentar e temperar os nossos pratos favoritos podem fazer bem não só para o paladar, mas principalmente para as funções neurais.As pesquisas ainda estão em andamento, mas há comprovação de que especiarias e ervas, como sálvia, orégano e tomilho, contém grandes quantidades de flavonóides e estudos recentes sugerem que esses compostos que estimulam o funcionamento do cérebro podem ter efeitos sobre o humor.

Vários trabalham mostraram que depois de ingerir uma cápsula de óleo de sálvia, voluntários apresentaram melhor desempenho em exercícios nos quais deveriam lembrar palavras, principalmente em relação a pessoas que haviam ingerido placebo.
Participantes que tomaram o óleo disserem que se sentiram mais concentrados, tranqüilos e satisfeitos.

Estes e outros estudos empregaram óleos essenciais, extratos concrentrados da planta e não as folhas de sálvia secas e frescas usadas na culinária caseira.Ainda assim, acredita-se que comer regularmente a folha de sálvia pode produzir efeitos similares de estimular a memória, embora de modo mais moderado.A razão disso é que a planta é rica em hispidulina, um flavonóide que em estudos de culturas de células parece interagir com receptores de células cerebrais formando ácido gama aminobutírico (GABA)um neurotransmissor que afeta justamente a cognição e os estados de ânimo.

Os flavonóides encontrados em outros temperos também podem produzir mudanças observáveis no humor devido a presença de carvacrol, presente em grandes quantidades nos óleos essenciais de orégano e tomilho.



Fonte-Revista Scientific American-Mente e Cérebro-A Ciência do Prazer-Edição Especial n*29.